Habitação Unifamiliar, Porto

Avaliar o estado de conservação estrutural do edifício e realizar o projecto de execução baseado num princípio de intervenção mínima

De acordo com informações recolhidas no Arquivo Histórico Municipal do Porto (Casa do Infante), a construção do edifício data de 1912 e foi requerida por Francisco de Souza Oliveira. O edifício foi construído em simultâneo com outros dois edifícios contíguos, e de características semelhantes. Apresenta planta rectangular e é constituído por 3 pisos, sendo a configuração actual dos seus compartimentos semelhante à existente nos elementos de projecto de arquivo. O edifício, de uma forma geral, apresenta uma tipologia construtiva tradicional para a época na região do Porto: fachadas de alvenaria de pedra, pavimentos de madeira constituídos por soalho sobre vigas apoiadas nas paredes de alvenaria de pedra das empenas, das fachadas e interiores, e ainda em paredes de tabique de divisão dos compartimentos.

O NCREP desenvolveu o trabalho em duas fases: a 1ª fase envolveu a Inspecção e o Diagnóstico Estrutural do edifício; a 2ª fase, que foi realizada de acordo com os resultados obtidos na 1ª fase, integrou o projecto de estabilidade, em particular a preconização de intervenções de reabilitação/reforço estrutural do existente.

O trabalho de inspecção e diagnóstico permitiu concluir que o edifício se encontra em bom estado de conservação, sendo viável a manutenção de uma parte considerável dos elementos estruturais, através de acções de reabilitação e (ou) reforço estrutural de carácter pontual. Na sequência da 1ª fase foi desenvolvido o projecto de estabilidade, em que a solução estrutural preconizada, para além de ter sido concebida de forma a cumprir exigências técnicas e económicas e os requisitos arquitectónicos, procurou ter em conta os materiais e sistemas estruturais existentes. O projecto de arquitectura foi da responsabilidade da Arqª. Cristina Campilho.



Impresso em ncrep.pt